51ª Sessão Ordinária - 2018 - Grande Expediente em homenagem às cooperativas escolares

Categoria: Pronunciamentos

SESSÃO ORDINÁRIA, EM 28 DE JUNHO DE 2018

GRANDE EXPEDIENTE
Está inscrito o deputado Elton Weber, que prestará uma homenagem às cooperativas escolares, alusiva ao Dia Internacional do Cooperativismo.

O SR. ELTON WEBER (PSB) – Saúdo o presidente desta sessão, deputado Catarina Paladini; o secretário de Estado da Educação, Sr. Ronald Krummenauer, neste ato representando o governador José Ivo Sartori; o representante da Câmara Federal, o sempre deputado desta Casa, deputado federal Heitor Schuch; o secretário do Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo, Sr. Tarcísio José Minetto; a presidente da Federação de Cooperativas Escolares do Brasil, Sra. Sara Kathieli Morschel Ribeiro de Freitas; o presidente do Sistema OCERGS-Sescoop-RS, Sr. Vergílio Frederico Perius; a presidente da Cooperativa Escolar Bom Pastor, Sra. Laís Flach Kunrath; o presidente da Cooperativa Escolar Cultura e Arte, Sr. Thales Alan Brune; o presidente da Casa Cooperativa de Nova Petrópolis, Sr. Mário José Konzen; o coordenador da Comissão de Educação da Casa Cooperativa e assessor pedagógico das instituições fomentadoras, Sr. Everaldo Marini; o prefeito do Município de Nova Petrópolis, Sr. Régis Luiz Hahn, que é prefeito da Capital Nacional do Cooperativismo, na pessoa de quem saúdo a todos os prefeitos, prefeitas e autoridades municipais que aqui se encontram; os secretários municipais de Educação do Município de Teutônia, Sr. Paulo Brust, do Município de Estrela, Sr. Marcelo Mallmann, e do Município de Nova Petrópolis, Sr. Ricardo Lawrenz; o secretário-geral da Federação dos Trabalhadores da Agricultura do Rio Grande do Sul, Fetag-RS, Sr. Pedrinho Signori; o presidente da Fundação Gaúcha do Trabalho e Ação Social, Sr. Rogério Grade; o diretor do ramo educacional da OCERGS, professor Valdir Bernardo Feller; a analista da promoção social Sescoop, Sra. Ubiracy Barbosa Ávila; a assessora técnica da Secretaria de Estado de Educação, Sra. Salete Albuquerque; a chefe de gabinete da Educação do Estado do Rio Grande do Sul, Sra. Vivian; o presidente do Sicredi Ouro Branco, Sr. Silvio Landmeier; o vice-presidente do Sicredi Ouro Branco, Sr. Inácio Berwanger; o vice-presidente do Sicredi Sul/Sudeste, Sr. Márcio Port; o diretor cooperativo da SDR do Estado do Rio Grande do Sul, Sr. Lino Ivânio Hamann; a vereadora de Teutônia Keetlen Link, na pessoa que quem saúdo a todos os vereadores e vereadoras.
Com a licença do nosso presidente, deputado Catarina Paladini, e das Sras. e dos Srs. Deputados que aqui me prestigiam, faço referência ao Sr. Willian Neves dos Santos, à Sra. Margarete Elisa Mallmann e também à Raquel Schwingel e ao Everaldo Marini.
Faço isso porque este momento do dia de hoje começou há alguns meses quando fui procurado por essas quatro pessoas para que fizéssemos atuações mais efetivas em direção ao cooperativismo das cooperativas escolares. Hoje temos a oportunidade de prestar esta homenagem, incluindo o presidente Vergílio Perius, neste momento alusivo ao Dia Internacional do Cooperativismo.
Não poderia iniciar o meu pronunciamento sem agradecer, em primeiro lugar, a presença dos jovens, dos adolescentes, dos moços e das moças, alunos das escolas onde se encontram as nossas cooperativas escolares.
Da mesma forma, não há como comemorarmos este momento do dia de hoje sem termos o professor, a professora, o diretor e a diretora das escolas onde é fomentado o cooperativismo escolar. Não podemos deixar de mencioná-los porque são eles verdadeiramente que promovem o cooperativismo nas escolas do nosso Estado. Poderia mencionar todos os Municípios, mas demoraria muito, assim, desejo boas-vindas a todos. Saibam que têm o reconhecimento da Casa Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul pelo trabalho que realizam.
Meus amigos e minhas amigas cooperativistas e colegas deputados:
Estamos aqui hoje para celebrar novamente o cooperativismo, fundamental para a sustentação da economia do nosso Estado e do nosso País. Aproveitamos esta semana especial que antecede o Dia Internacional do Cooperativismo para homenagear especialmente as cooperativas escolares.
Por isso, este plenário está cheio de estudantes, essa gurizada que está construindo um futuro melhor, norteada pelos sete princípios do cooperativismo: adesão voluntária, democracia, associativismo, autonomia, intercooperação, educação e compromisso com a comunidade.
Temos mais de trezentas pessoas aqui nas galerias, que estão lotadas por representantes de 23 Municípios. Certamente saíram das suas cidades na manhã de hoje, ou antes, para estarem conosco, demonstrando o espirito de mobilização e orgulho dos envolvidos com esse trabalho de base, esse laboratório de transformação social por meio da pedagogia, que existe graças à soma de esforços dos que acreditam na construção de um País melhor, mais justo e igualitário.
O Rio Grande do Sul é protagonista no estimulo às cooperativas escolares e hoje tem mais de três mil jovens transformando não apenas suas vidas, mas a realidade de suas famílias, escolas e comunidades com lições de empreendedorismo, cidadania e união, apostando que juntos podem mais, como nos ensinam também os esportes coletivos, como estamos vendo na Copa do Mundo. Nenhum jogador, por maior estrela que seja, pode jogar sem a ajuda dos seus colegas. Mesmo os craques precisam de uma equipe, precisam confiar no companheiro para construir o caminho até o gol, assim como na vida. Não é mesmo?
O Estado tem hoje 102 cooperativas escolares nos ensinos fundamental e médio em escolas públicas e privadas em 43 cidades e tem sido modelo para o restante do País. A primeira experiência que se tem notícias sobre cooperação escolar no Rio Grande do Sul Foi por uma semente que ganhou o solo nos anos 80 em Santo Cristo. Essa semente caiu em terra fértil e frutificou.
O salto veio na década de 90, com a criação do A União Faz a Vida, programa fantástico do Sicredi, criado com o objetivo de transformar a percepção dos jovens sobre a sua capacidade de assumir o protagonismo da sua vida, do seu desenvolvimento social e econômico.
Após esse período inicial, aconteceu uma revitalização muito importante das cooperativas escolares a partir de um termo de irmandade entre Nova Petrópolis, o berço do cooperativismo, e a cidade argentina de Sunchales. A partir dessa parceria, iniciada em 2010, o cooperativismo passou a ser base de aprendizado nas escolas com fomento da Casa Cooperativa de Nova Petrópolis, mantida pela Sicredi Pioneira, pela Cooperativa Piá, pelos órgãos públicos do Município. Esse exemplo, com certeza, está presente em Teutônia e em tantas outras cidades do nosso Estado.
Cito aqui a primeira cooperativa constituída, a Cooebompa, da Escola Bom Pastor, cujo diretor, Adriano Fiorini, nos honra com sua presença.
Aproveito esta oportunidade para fazer referência a regiões dos vales do Caí e Taquari, onde, desde 2015, também tem sido realizado um belo trabalho pela Sicredi Ouro Branco, que fomenta 20 cooperativas nos Municípios já mencionados e em tantos outros espalhados pelo nosso Rio Grande do Sul. São iniciativas assim que, com certeza, colaboram muito para os relatos dos estudantes, orientadores e lideranças que ouvimos pelo Estado.
Esse trabalho cooperativo tem, sim, na sua base, a Organização das Cooperativas do Estado do Rio Grande do Sul, a OCERGS, e o apoio das prefeituras municipais, das secretarias municipais, das secretarias de Estado – e aqui saúdo os secretários Tarcísio José Minetto, do Desenvolvimento Rural, e Ronald Krummenauer, da Educação –, das câmaras de vereadores, dos professores das escolas municipais, estaduais e privadas.

O SR. ELTON WEBER (PSB) – Todos os deputados que aqui se manifestaram são membros da Frente Parlamentar de Apoio ao Cooperativismo – Frencoop. Inclusive, presidente Vergílio, todos os deputados que compõem a Assembleia Legislativa, homens e mulheres, são signatários da Frencoop. Portanto, este Parlamento também é cooperativista.
Quero, em tempo ainda, registrar e agradecer a presença do deputado federal José Stédile, do presidente da Federação das Cooperativas Escolares do Centro-Serra, Pedro Henrique Cortes, e do representante da Associação Regional das Casas Familiares Rurais do Rio Grande do Sul – Arcafar –, do ensino de alternância, o Tiago.
No decorrer desta sessão, quatro pessoas já ocuparam a presidência dos trabalhos. Neste momento, preside a sessão o deputado Adolfo Brito. Isto significa, Vergílio, a cooperação entre as pessoas. Quando um deputado precisa atender a uma agenda à tarde, algum outro deputado conduz os trabalhos neste Parlamento.
Os relatos aqui ouvidos dão conta de que, de fato, o cooperativismo é a solução com certeza para muitos problemas que vivemos hoje na sociedade, não somente econômicos, mas também sociais e tantos outros. E isso, mais uma vez, é reforçado na tarde de hoje ao prestarmos no Parlamento gaúcho esta homenagem às cooperativas escolares e ao cooperativismo pela sua atuação na sociedade. Não tenho dúvida em dizer que o cooperativismo é um dos principais pilares – senão o principal – de uma sociedade que pretende crescer de forma justa, igualitária e harmoniosa.
As cooperativas escolares também fomentam o respeito entre as pessoas. Quanto ao rendimento em sala de aula, quem pode falar sobre isso são os professores, mas certamente cria-se um outro clima. Muitos jovens certamente estão conseguindo vislumbrar outros aspectos com os quais até então não tinham contato, porque o cooperativismo prepara também as pessoas para os seus projetos de vida, contribuindo assim para o coletivo, e isso talvez seja o que mais falte nas nossas comunidades, no Estado e no País.
Um novo passo para o desenvolvimento desse projeto educacional veio com a organização das cooperativas, que formaram federações, as quais já foram mencionadas aqui. As sementes foram lançadas e seus ramos já estão por todo o Estado do Rio Grande do Sul.
Tanto planejamento e fomento fazem com que as lições do cooperativismo escolar produzam estagiários estimulados, jovens aprendizes e profissionais diferenciados no mercado de trabalho.
Chama atenção também a presença feminina em cargos de liderança. Hoje, 66% das cooperativas escolares são presididas por moças. Em relação às demais cooperativas gaúchas, apenas 6,7% delas são presididas por mulheres. Isso quer dizer que as mulheres talvez estejam mais empenhadas em participar do que os rapazes. Para nós, homens, fica aqui o desafio de nos empenharmos ainda mais para construir, todos juntos, independentemente de sexo e idade, cada vez mais um mundo cooperativo.
Como em todo projeto, em relação às cooperativas escolares, que aqui estamos a homenagear no dia de hoje, também existem desafios. O principal deles neste momento é que o professor-orientador nas escolas tenha uma carga horária maior para acompanhar as atividades dos jovens. Estamos falando de 4 horas semanais no contraturno. Entendemos ser este um esforço pequeno do poder público perto dos frutos que podem advir dessas iniciativas.
Quero aqui aproveitar a presença do secretário Ronald Krummenauer para pedir que, junto com as cooperativas escolares, com o Estado e com os Municípios, conversemos ainda mais sobre esse assunto para traçar as melhores formas de avançar, tendo mais profissionais focados nesse trabalho cooperativo.
Falo agora também para os adultos cooperativistas, nos quais me incluo. Deixo aqui, com meu apreço, a promessa que, com meus companheiros da Frencoop, os deputados Luiz Fernando Mainardi, Zilá Breitenbach, Vilmar Zanchin e Sérgio Turra, vamos analisar um pleito que chegou nesses últimos dias à Assembleia Legislativa e formular um projeto de lei inovador, assim como são inovadoras as cooperativas escolares: as cooperativas de energia solar nos meios urbano e rural.
Qual o objetivo dessa medida? Hoje, muito ouvimos sobre produzir energia limpa a partir de recursos naturais. Fomentando a criação desse tipo de cooperativa, estaremos ajudando a viabilizar que qualquer pessoa tenha possibilidade de se beneficiar da energia solar, seja morando num apartamento ou numa casa, independentemente de onde estejam as construções.
Em breve, iremos encaminhar, junto com a nossa Frencoop, um projeto para que haja uma legislação isentando a tributação sobre a produção cooperativada de energias alternativas, o que com certeza dialoga com os temas atuais da sociedade.
Quero encerrar convidando a todos para as atividades do Dia C, o Dia de Cooperar, que está sendo promovido pela OCERGS-Sescoop e que acontecerá no próximo dia 30, no qual serão oferecidos serviços e lazer para as comunidades.
A OCERGS divulgará na próxima semana também os indicativos econômicos dos seus 13 ramos. Tenho certeza de que eles reafirmarão o segmento como base forte da economia nacional e do Estado. Os últimos números apresentados mostram que as cooperativas gaúchas registram um faturamento de 41,2 bilhões de reais e um crescimento médio de 14,2% ao ano. Cerca de 2,8 milhões de pessoas são associadas a cooperativas, com 58,9 mil empregados diretos, representando 10,5% do PIB. Isso é o cooperativismo na questão econômica e social.
Antes de encerrar, quero dizer que há muito tempo, deputados Gabriel Souza, Luiz Fernando Mainardi e Adolfo Brito, não tínhamos o plenário desta Casa tão cheio para homenagear pessoas que fazem e acontecem.
Na mesa estão três jovens cooperativistas, duas moças e um rapaz, com os quais poderemos nos espelhar no futuro.
Muitas vezes ouvimos dizer que o jovens serão o futuro do Estado, do País. Assim, se os jovens não puderem estar juntos na construção a partir do presente, também não teremos um futuro.
Novamente agradeço a presença de todos e parabenizo as escolas, os professores e as professoras que aqui se fazem presentes e que são abnegados na tarefa de construir junto com seus alunos um mundo melhor. Creio que também para isso existem as cooperativas escolares.
Antes de encerrarmos, ouviremos a Canção do Cooperativismo, executada por quatro jovens da Coopertec, de Teutônia: Sofia, Ian, Claiver e Camille.
Viva o cooperativismo! Viva as cooperativas escolares! A solução é cooperar.

Login de Usuário

Sistema de login restrito para abastecimento do portal.


Cadastre-se

Para receber os informativos

Elton Weber Deputado Estadual

  

Gabinete Parlamentar

( 51 ) 3210-2440

Rua Marechal Deodoro, 101 sala 804

Centro Histórico - Porto Alegre - RS

E-MAIL 

elton.weber@al.rs.gov.br

ww1.al.rs.gov.br/eltonweber